NOTÍCIAS

Metalurgicos da Niagara repudiam futuras demissões com acordos parcelados e extrajudiciais

Os metalúrgicos da Niagara repudiaram em votação nesta segunda-feira, dia 5, quaisquer futuras demissões com acordos parcelados em até 12 vezes, extrajudiciais ou homologação sem a participação do Sindicato.

Infelizmente as direções da Niagara do Rio e de São Paulo tomaram uma decisão muito estranha no que tange a demissão de um jovem trabalhador, ocorrida no chão da fabrica. A empresa tentou de todas as maneiras levar este jovem a parcelar suas verbas rescisórias em 12 vezes! Um acordo que fere os interesses do companheiro, a nossa convenção coletiva e até mesmo a Justiça do Trabalho. Tudo isso após seis anos de trabalho na fundição, local que agride a saúde dos funcionários que atuam todos os dias nesta fabricação.

O Sindicato entrou em contato com ambas as direções (Rio e SP) para obter explicações desta tamanha arbitrariedade contra o trabalhador e desta proposta indecente e imoral.

Para nossa surpresa, a direção de São Paulo nos informou que essa realidade será com todos os funcionários na Niagara. A empresa alega que a situação financeira é difícil e que não tem outra saída a não ser fazer estas demissões de forma arbitrária, sem homologações e acordos de parcelamentos sem o respaldo da justiça trabalhista. Mesmo com o funcionário não aceitando esse acordo, a direção da empresa depositou o valor da primeira parcela, como foi o caso desse companheiro demitido.

O Sindicato orienta os trabalhadores da Niagara a não assinarem nenhum documento relativo às demissões futuras, pois será algo passível de fraude e questionável, pois não tem respaldo da justiça do trabalho.

O Sindicato repudia veementemente esta atitude arbitrária e imoral das direções da empresa (Rio e SP) Niagara.

Iremos denunciar as direções da Niagara sobre essas arbitrariedades que poderão ocorrer novamente aqui no Rio, segundo informação de membros da diretoria da Niagara de São Paulo.

Orientamos os trabalhadores que quando ocorrer demissões a não assinarem nenhum documento extrajudicial com a direção da empresa, colocando em risco suas verbas rescisórias, pois esses acordos não têm validade jurídica.

Portanto, fiquem atentos, muitos aqui, após longos anos de dedicação e trabalho a essa empresa, no final têm esta triste realidade a ser enfrentada.

Repudiamos esses parcelamentos injustos das indenizações! Procure o Sindicato!

612 total views, 6 views today

Sindimetal-Rio

Sindicato classista e de luta

Fundado em 1º de maio de 1917.

O Sindicato dos Metalúrgicos do Rio de Janeiro, fundado em 1º de maio de 1917, continua sendo o principal instrumento de luta e de atuação da categoria. Tem uma rica história em prol do Brasil, da democracia e em defesa dos trabalhadores. O Sindicato, consciente do seu papel, segue firme, buscando sempre a valorização do trabalhador e a construção de uma sociedade mais justa e igualitária, a sociedade socialista.

Saiba mais