NOTÍCIAS

Um governo que maltrata os trabalhadores: confira 3 medidas do governo Temer que prejudicam o povo

Em agosto, o governo ilegítimo de Michel Temer (PMDB) completa 16 meses. Mas não há razões para festa. Mesmo com o apoio da grande e dos empresários, o golpe não tirou o Brasil da crise. Tanto que Temer é o presidente mais impopular do País. Mais de 70% dos brasileiros consideram sua gestão ruim ou péssima. Não é para menos. Veja abaixo três medidas do governo Temer que pioram ainda mais a vida do povo:

 
1) Corte em áreas sociais
O Brasil investe pouco em setores como Educação, Saúde e programas sociais. Ainda assim, Temer conseguiu aprovar uma PEC (Proposta de Emenda Constitucional) que impôs um limite de gastos do governo nessas áreas por 20 anos. A chamada “PEC do Teto de Gastos” é criminosa porque só congela recursos que beneficiam o povo, além de pôr fim a avanços como a política de valorização do salário mínimo. Mas nada de limitar o pagamento de juros ou mexer com os mais ricos.

2) Menos direitos trabalhistas
Com a “Lei da Terceirização Irrestrita”, o governo autorizou as empresas a contratarem funcionários para qualquer função sem carteira assinada. Ou seja, com menos garantias e benefícios. Já ao fazer a reforma trabalhista, Temer suspendeu ou restringiu mais de 200 direitos e conquistas. Os sindicatos e a Justiça do Trabalho – principais armas de defesa dos trabalhadores – também foram atingidos. A próxima aposta dos golpistas é a reforma da Previdência, que praticamente impende a aposentadoria.

3) Empregos mais precários
Segundo o IBGE, o Brasil voltou a gerar postos de trabalho. O índice de desemprego caiu nos últimos três meses, de 13,7% para 13%. O problema é que, cada vez mais, o País só gera empregos informais – ou seja, sem carteira assinada. No trabalho precário, o brasileiro não tem direito a uma série de garantias, como 13º salário, FGTS e verbas rescisórias. Sem contar que 13,5 milhões de trabalhadores seguem sem nenhuma ocupação. Em apenas um ano, perdemos 1,1 milhão de empregos com registro em carteira.

Fonte: Fitmetal

177 total views, 1 views today

Sindimetal-Rio

Sindicato classista e de luta

Fundado em 1º de maio de 1917.

Em 2017, o Sindicato dos Metalúrgicos completará 100 anos e continua sendo o principal instrumento de luta e atuação da categoria no Rio de Janeiro. Tem uma rica história em prol do Brasil, da democracia e em defesa dos trabalhadores.

O Sindicato, consciente do seu papel, segue firme, buscando sempre a valorização do trabalhador e a construção de uma sociedade mais justa e igualitária, a sociedade socialista.

Saiba mais